Conheça nossos cursos
Conheça nossos cursos

Enem

Aposte na aprendizagem ativa para se preparar para o Enem

O que faz um contador: função e área de atuação profissional

Enem

Aposte na aprendizagem ativa para se preparar para o Enem

Mariana Moraes
Por Mariana Moraes em Jan 13, 2022 2:12:37 PM | 9 min de leitura

Você sabe o que é aprendizagem ativa? Essa metodologia pode trazer diversos benefícios para os seus estudos, especialmente para quem está se preparando para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). 

Durante muito tempo, o sistema educacional utilizado pelas escolas priorizou um modelo pedagógico em que o aluno era passivo. Ou seja,  o professor era o detentor de todo o conhecimento e os alunos apenas ouviam e se limitavam a aceitar os conteúdos passados. 

Contudo, com o avanço dos estudos sobre metodologias de ensino e com a disseminação da internet e suas tecnologias, novas formas de aprendizagem surgiram. Nesse contexto, o papel de aluno-ouvinte ficou no passado e uma abordagem mais ativa passou a ser adotada por diversas instituições de ensino. 

A aprendizagem ativa é uma das metodologias que mais despertam o interesse de professores e alunos por permitir uma melhor compreensão e absorção dos conteúdos. 

Para quem está se preparando para o Enem especialmente, a aprendizagem ativa é uma forma de potencializar os estudos e, até mesmo, tornar esse processo mais dinâmico e divertido. 

Quer descobrir como aplicar essa metodologia nos seus estudos para o Enem? Continue conosco e acompanhe o artigo completo!

Confira:
O que é aprendizagem ativa 
Por que a aprendizagem ativa é uma boa metodologia de estudos para o Enem?
As principais metodologias ativas que você vê na escola 
Como ser mais ativo no seu aprendizado com 5 atitudes 
Conclusão 

Baixe agora mesmo 100 questões do ENEM e comece a estudar!

O que é aprendizagem ativa 

Nossa sociedade passou por diversas mudanças nesses últimos anos, principalmente pela popularização da internet. Essas transformações modificaram a forma como interagimos com o mundo, alterando aspectos como relações políticas, econômicas e sociais. 

Como parte fundamental da sociedade, a educação também apresentou grande evolução nos últimos tempos. 

Com a disseminação da internet e o surgimento de novas tecnologias, os estudantes passaram a ter um papel mais ativo no processo de aprendizagem. Afinal, o conhecimento está a alguns cliques de distância na atualidade. 

Dessa forma, o método conhecido como passivo, em que o docente é o protagonista da educação, foi dando lugar a novas metodologias, em que o aluno é o indivíduo central do processo de aprendizagem. 

Essa nova forma de encarar o processo educacional é chamada de aprendizagem ativa. Nela, o aluno é o personagem principal e o maior responsável pelo processo de aprendizado. 

O objetivo desse modelo de ensino é potencializar a capacidade de absorção de conteúdos por meio de uma participação mais autônoma e participativa por parte dos alunos. 

Nesse cenário, os professores não são detentores do conhecimento, mas sim mediadores. São eles que fazem a ponte entre o conhecimento e os alunos, estimulando essa interação e ajudando nas dificuldades.

Ou seja, os professores apontam o caminho, certificando-se de que cada turma tenha acesso aos materiais e estímulos adequados, para que possam exercitar e concretizar esse conhecimento.

Pirâmide da aprendizagem de William Glasser

Ao longo das décadas, diversos especialistas em educação realizaram pesquisas sobre a relação entre a assimilação dos conteúdos e as metodologias de aprendizagem utilizadas. Nesse sentido, o psiquiatra norte-americano William Glasser (1925-2013) é uma das maiores referências no assunto. 

O pesquisador se dedicou à análise das metodologias de ensino, buscando explicar como as pessoas geralmente aprendem e qual é a eficiência de cada método neste processo. 

Para apresentar o resultado de seus estudos, Glasser apresentou a Pirâmide de Aprendizagem. Nela, o estudioso mostra a eficácia de cada metodologia, identificando em quais o aluno aprende mais. 

Segundo a pirâmide Glasser, o aprendizado do estudante melhora conforme ele apresenta uma postura mais ativa no processo de aquisição de conhecimento. 

Mas por que isso acontece? 

De acordo com o pesquisador, quando o estudante participa de forma mais ativa, ele acaba sendo responsável pela construção do conhecimento. Isso permite que ele aprenda de forma eficaz e duradoura, indo muito além da famosa “decoreba”. 

De acordo com essa teoria de Glasser, os alunos aprendem cerca de:

  • 10% lendo;
  • 20% escrevendo;
  • 50% observando e escutando;
  • 70% discutindo com outras pessoas;
  • 80% praticando;
  • 95% ensinando.

Ou seja, é possível observar que os métodos mais eficientes – discutindo com outras pessoas, praticando e ensinando –  estão inseridos no campo das metodologias ativas de aprendizagem.

Por que a aprendizagem ativa é uma boa metodologia de estudos para o Enem?

Atualmente, o Enem é a principal prova para o ingresso no ensino superior. Contudo, ele não segue a divisão dos tradicionais vestibulares, dividindo as questões por matérias como matemática, física, biologia, língua portuguesa e história, por exemplo. 

O exame é dividido em quatro grandes áreas do conhecimentos –  Ciências Humanas e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias e Linguagens e suas Tecnologias. 

Mas o que isso muda na prática as características do exame? 

Diferente dos vestibulares tradicionais, em que os conteúdos de cada matéria são delimitados, no Enem, as matérias e os conhecimentos se relacionam. Por exemplo: na prova de Ciências Humanas é possível que você tenha uma única questão envolvendo conhecimentos de física, química e biologia. 

Essa característica do exame exige que o aluno tenha um conhecimento dos conteúdos que vá além da “decoreba”. Afinal, será cobrado um domínio mais amplo, que permite fazer relações entre as matérias e aplicar os conhecimentos em cenários que fazem parte do nosso dia a dia. 

O que tudo isso tem a ver com o modelo de aprendizagem ativa? Essa metodologia, através de processos que incentivam o estudante a construir o seu conhecimento de forma autônoma, personalizada e ativa, pode preparar melhor para o Enem. 

Afinal, o exame exige uma compreensão dos conteúdos mais profunda, duradoura e que permite traçar paralelos e encontrar relações entre o que está nos livros e em nosso cotidiano. 

Dessa forma, investir em metodologias de estudos ativas pode trazer bons resultados para quem está se preparando para o Enem. 

No entanto, é sempre importante lembrarmos: cada pessoa tem o seu ritmo e seu processo de absorção de conteúdos. 

Ou seja, teste mais de um método de estudos e encontre aquele que funcione melhor para você. Lembre-se que não existem regras, neste artigo trazemos apenas sugestões para potencializar seus estudos. 

aprendizagem ativa - mulher debruçado sobre os livros estudando

As vantagens da aprendizagem ativa 

Agora que você já compreendeu o conceito de aprendizagem ativa e por que ela é uma metodologia de estudos boa para o Enem, vamos apresentar seus principais benefícios. Confira:

  • Adquirir mais autonomia e desenvolver confiança

A aprendizagem ativa torna os estudantes protagonistas do seu aprendizado, o que contribui para que eles adquiram mais autonomia e confiança para resolver problemas e encontrar seus pontos fortes e fracos em cada conteúdo. 

  • Compreensão mais completa dos cenários e situações do cotidiano

Os modelos ativos de aprendizagem possibilitam um conhecimento maior dos conteúdos. 

Afinal, é um metodologia que busca garantir que os alunos tenham um conhecimento solidificado e amplo, estando aptos para analisar cenários e situações do cotidiano. Ou seja, eles aprendem como aplicar aquilo que é trabalho nos livros e na sala de aula no universo à sua volta.  

Quantas vezes você já viu um conteúdo na escola e se perguntou “onde eu vou usar isso”? Provavelmente muitas! Com a aprendizagem ativa, os estudantes compreendem melhor de onde vieram e em que serão aplicados praticamente cada conceito.

Isso permite que os estudantes criem um pensamento crítico aprimorado e aumentem sua capacidade de argumentação e defesa de ideais – ponto indispensável para a redação do Enem, não é mesmo?

  • Desenvolvimento da capacidade de adaptabilidade, comunicação e habilidades interpessoais

O método de aprendizagem ativa possibilita que os estudantes aperfeiçoem diversas habilidades, especialmente de comunicação verbal, escrita e interpretação de conteúdos. 

Assim, eles também se tornam mais adaptáveis, saindo-se bem mesmo em diferentes modelos de prova, por exemplo. 

Além disso, de forma geral, uma abordagem mais ativa permite o desenvolvimento de diversas habilidades interpessoais, como organização, inteligência emocional e empatia. 

As principais metodologias ativas que você vê na escola 

Abaixo, apresentamos as principais metodologias ativas trabalhadas no contexto escolar. Confira: 

Situações problema e desenvolvimento de projetos

O aprendizado baseado em situações problemas e desenvolvimento de projetos instiga o estudante a buscar de forma autônoma soluções e abordagens para a questão apresentada pelo professor.

Esse método propõe que o estudante analise, estruture e crie diante de uma situação desafiadora, o que garante um aprendizado mais duradouro e aprofundado. 

Neste contexto, o professor exerce um papel de mediador. Ele incentiva o aluno a resolver o problema e desenvolver um projeto por conta própria. 

Além disso, esses projetos costumam ser desenvolvidos em grupos, de modo colaborativo, para que o estudante desenvolva também a capacidade de trabalhar em conjunto.

Sala de aula invertida

A sala de aula invertida é uma das estratégias para trabalhar uma metodologia ativa com os estudantes. Nela, há uma substituição da aula expositiva dada pelo professor por uma mais dinâmica, em que o conteúdo é ensinado pelo próprio aluno. 

Para que isso seja possível, o estudante deve ter acesso antecipado ao conteúdo e interagir com os demais colegas para realizar projetos. O objetivo é fazer com que o aluno tenha uma postura mais ativa, além de aumentar o interesse dele pelo tema abordado.

Gamificação

A gamificação é a utilização de jogos em situações de ensino e aprendizado. Para isso, valem jogos de tabuleiro, atividades físicas feitas na quadra escolar ou fora dela, por exemplo. 

Em geral, essa é uma estratégia de ensino que gera bastante engajamento entre os alunos, que se sentem desafiados e estimulados a chegar até o final. 

Discussões e debates

A realização de grupos de discussão e debates supervisionados possibilita o desenvolvimento do raciocínio e do pensamento crítico entre os alunos. 

Além disso, coloca os estudantes em contato com novas opiniões e contextos diferentes dos quais eles estão acostumados.

Sendo assim, é uma ótima estratégia para os estudantes aprenderem a construir e defender suas ideias, além de aprofundar o tema em debate.  

Como ser mais ativo no seu aprendizado com 5 atitudes 

Para você que está se preparando para o Enem, trazemos cinco atitudes para potencializar seus estudos e ter uma postura mais ativa diante do aprendizado. Confira:

1 - Grupos de estudo

Uma das metodologias mais eficazes de aprendizagem é conversar e ensinar outra pessoa sobre o assunto que você está estudando. Afinal, essa prática permite que o estudante consolide e amplie a absorção dos conteúdos.

Sendo assim, montar um grupo de estudos pode ser uma ótima alternativa para dar um gás na sua rotina de preparação para o Enem.

2 - Dialogar com o texto

Você já sentiu que leu uma página inteira de conteúdo, mas não absorveu nada do que estava escrito? Isso é bem mais comum do que parece!

Uma ótima forma de driblar esse problema é realizar anotações ao longo do texto, procurando estabelecer relações entre o que está lendo e outros conteúdos. 

Essa estratégia pode ajudar a compreender melhor o conteúdo e a fixar todos os principais pontos.

aprendizagem ativa - caderno em branco sob mesa com calculadora, óculos de grau e  outros itens escolares

3 -  Ir além do material básico de estudos

Os livros didáticos são ótimas ferramentas de estudos. Contudo, muitas vezes, eles não são suficientes para garantir uma aprendizagem eficaz. Afinal, existem estudantes que aprendem melhor ouvindo, por exemplo, já outros, precisam de estímulos visuais. 

Sendo assim, ir além do material básico, buscando vídeo-aulas, podcasts e jogos interativos, é uma ótima forma de potencializar seus estudos. 

4 - Faça simulados

Ler e ouvir sobre uma matéria são ótimas formas de estudar. No entanto, você só saberá se aprendeu de fato um conteúdo ao praticar. 

Por isso, especialmente para estudar para o Enem, procure fazer simulados para testar seus conhecimentos. Eles permitem que você identifique seus pontos fortes e fracos nos estudos, o que possibilita fazer mudanças realmente eficazes na sua rotina. 

5 - Aposte nos resumos e nas anotações

Ao estudar um novo conteúdo, procure fazer um resumo ou anotações sobre o que você aprendeu. Colocar o que foi aprendido em suas próprias palavras ajuda a fixar a matéria e facilita a compreensão.

Descubra os segredos para tirar nota 1000 na redação do ENEM!

Conclusão 

Neste artigo, falamos sobre aprendizagem ativa, trazendo dicas para os estudantes que estão se preparando para o Enem. 

Se você gostou desse conteúdo, leia também:

Enem

Veja mais conteúdos da UMC sobre EAD e educação

O que zera a redação do Enem?

Se você está se preparando para o Enem, certamente essa pergunta já veio à sua mente: afinal, o que zera a redação do ...
11 min de leitura

Conserto ou concerto: afinal, qual é o correto?

Afinal, o correto é escrever conserto ou concerto? As duas palavras existem na língua portuguesa, mas são utilizadas em ...
5 min de leitura

Os 7 livros que mais caem no Enem

Por mais que o Enem não tenha uma lista de leituras obrigatórias — como os vestibulares —, existem livros que são ...
14 min de leitura
Ver mais conteúdossobre Enem