Conheça nossos cursos
Conheça nossos cursos

Vida na universidade

Por que seu autoconceito é afetado quando você vai mal em uma prova

O que faz um contador: função e área de atuação profissional

Vida na universidade

Por que seu autoconceito é afetado quando você vai mal em uma prova

Mariana Moraes
Por Mariana Moraes em Jan 19, 2022 6:50:35 PM | 7 min de leitura

Assim como construímos uma visão sobre os outros ao longo da vida, também formamos uma imagem de nós mesmos. Esse conjunto de crenças e ideias sobre quem somos se chama autoconceito. 

Conforme passamos por algumas situações – sejam elas positivas ou negativas – nosso autoconceito pode se modificar. Existem diversos fatores que influenciam na forma como nos enxergamos, desde as pessoas com quem nos relacionamos até os acontecimentos que nos ocorrem.  

O momento pré universidade, em que estamos estudando e nos dedicando para conquistar uma vaga, pode influenciar muito na imagem que construímos de nós mesmos. Afinal, é uma etapa com muitas expectativas envolvidas. 

Assim, se as coisas não saem exatamente como planejado, isso pode afetar a ideia que construímos de nós mesmos. 

Além disso, essa fase de preparação para o ensino superior costuma ser uma etapa de transição da adolescência para vida adulta para muitas pessoas. Isso torna esse momento ainda mais balizador e constitutivo da imagem do que somos e de quem podemos ser daqui para frente. 

Por isso, trabalhar o autoconceito é essencial para passar pelos momentos desafiadores da vida com mais tranquilidade. Quer descobrir como? Continue conosco neste artigo!

Aqui você vai ver:
O que é autoconceito 
Como se constrói o autoconceito
Por que nosso autoconceito fica abalado quando vamos mal em um teste 
Como trabalhar nosso autoconceito em 4 passos 
Conclusão

autoconceito - homem sentado no chão com cabeça sob os joelhos

O que é autoconceito

Autoconceito é o conjunto de percepções e ideias que uma pessoa tem de si própria. Ele abrange todos os pensamentos, características e sentimentos sobre nós mesmos. 

O autoconceito nasce e se desenvolve com o ser humano, de acordo com as suas vivências. Ou seja, essa imagem de si próprio está em constante processo de formação, podendo, assim, se modificar conforme as experiências que temos ao longo da vida.

Autoconceito é um termo amplamente utilizado em diferentes tipos de psicologia, embora tenha sido altamente desenvolvido pela psicologia humanista.

Baixe agora mesmo 100 questões do ENEM e comece a estudar!

Os componentes do autoconceito

Um dos principais nomes da psicologia humanista é Carl Rogers. Dentro de suas teorias e estudos, o psicólogo estadunidense sugeriu que o autoconceito é formado por três componentes:

Autoimagem

A autoimagem é a forma como nos vemos. Ela inclui a percepção que temos do nosso aspecto físico, dos nossos papéis sociais e dos nossos traços de personalidade.

É importante reforçar que a autoimagem de um indivíduo nem sempre corresponde à realidade. Diversas situações podem distorcer a visão que uma pessoa tem de suas características.

Um exemplo são as pessoas que sofrem de anorexia. Esses indivíduos têm um olhar distorcido sobre os seus corpos, enxergando-os de uma forma diferente do que são na realidade.  

Assim, podemos dizer que essas distorções podem ser positivas ou negativas. Um indivíduo pode ter uma visão mais positiva de certos aspectos do ‘eu’ e uma visão mais negativa de outros.

Autoestima

A autoestima diz respeito ao valor que colocamos em nós mesmos e à forma como avaliamos nossas atitudes, aparência e vivências. 

Essas avaliações abrangem comparações pessoais com os outros, bem como as respostas de outras pessoas a nós.

Quando nos comparamos com os outros e descobrimos que somos melhores em algo, nossa autoestima cresce em determinado aspecto.

Por outro lado, quando nos comparamos com os outros e descobrimos que não somos tão bem sucedidos em uma certa área, nossa autoestima diminui.

Eu ideal

O “eu ideal” reúne tudo aquilo que gostaríamos de ser. É muito comum que exista sempre uma diferença entre a autoimagem da pessoa e seu ‘eu ideal’. 

Como se constrói o autoconceito

O autoconceito é algo inerente ao ser humano, desenvolvendo-se logo na primeira infância.

Por mais que esse processo continue por toda a vida, é na infância e na adolescência que o autoconceito de uma pessoa passa por mais transformações e crescimento. 

É na infância que a criança começa a se diferenciar dos demais e a compreender seus “eus” separados e singulares. 

Também nessa fase, elas passam a prestar mais atenção em suas capacidades e vontades, assim como a fazer comparações e perceber os grupos sociais que as rodeiam. É nesse ponto que o “eu ideal” e a autoimagem começam a ser construídos. 

Contudo, o período chave para compreender o autoconceito é a adolescência. Afinal, o autoconceito estabelecido durante a adolescência geralmente é a base do autoconceito para o restante da vida. 

Durante a adolescência, as pessoas experimentam diferentes papéis, personas e “eus”. Para os adolescentes, o autoconceito é influenciado pelo sucesso em áreas que eles valorizam e as respostas dos outros valorizados para eles. 

O sucesso e a aprovação nessa fase da vida podem contribuir para uma maior autoestima e um autoconceito mais forte na vida adulta.

Por isso, pensando especialmente nos jovens que estão na fase do vestibular e Enem, é tão importante que o autoconceito seja bem trabalhado e solidificado nessa fase.  

Por que nosso autoconceito fica abalado quando vamos mal em um teste 

Quando não conseguimos o resultado esperado em uma prova, é normal que o sentimento de frustração nos aflija – especialmente para quem gastou parte dos seus esforços e tempo estudando

Esse sentimento de impotência e decepção pode nos fazer questionar aquilo que pensávamos conhecer sobre nós mesmos. É aí que mora o perigo!

Será que eu me saí mal porque não sou inteligente? Qual o problema comigo? Por que todos vão bem em tal conteúdo e eu não? Será que essa faculdade não é para mim? Essas são algumas das perguntas que surgem na mente nesse momento e podem abalar o autoconceito que uma pessoa tem de si. 

Como explicamos anteriormente, o autoconceito de uma pessoa é construído ao longo da vida, dependendo das experiências que esse indivíduo passa. 

O momento que antecede a entrada no ensino superior é sempre de muita ansiedade e expectativas, além de marcar, muitas vezes, a transição da adolescência para a vida adulta. Sendo assim, podemos dizer que essa fase pode ser uma das mais constitutivas para o autoconceito de um indivíduo. 

É por isso que quando vamos mal em uma prova importante, como o Enem e o vestibular, a percepção que temos sobre nós mesmos se abala. 

No entanto, é essencial encontrar maneiras de superar o desânimo e não deixar que isso afete de forma definitiva a imagem que você tem de si mesmo. 

No tópico a seguir, trazemos algumas. Não perca!

Como trabalhar nosso autoconceito em 4 passos 

autoconceito - mulher sorridente de frente para o espelho

Não se saiu bem no Enem ou no vestibular? Está se sentindo frustrado e incapaz? É normal ficar abalado ao receber uma notícia negativa, contudo é essencial que não deixemos que isso afete a percepção que temos de nós mesmos. 

Afinal, não é porque você foi mal em uma prova que você não é inteligente ou não tem capacidade para alcançar seus objetivos. 

Abaixo, trazemos algumas dicas para trabalhar e fortalecer positivamente seu autoconceito. Confira:

1 - Não se compare

Sabemos que é praticamente inevitável não nos compararmos com as pessoas que estão à nossa volta. No entanto, ao fazer esse movimento, é preciso ter muito cuidado para não nos inferiorizarmos diante do outro. 

Cada pessoa tem sua trajetória e suas particularidades. Por isso, muitas vezes, mesmo estudando o mesmo número de horas e assistindo as mesmas aulas, pode acontecer de você não se sair tão bem quanto seu colega. 

Na maioria das vezes, só vemos uma face das pessoas que estão próximas de nós, existem diversos aspectos que não estão ao nosso alcance. 

Dessa forma, ficar se comparando, especialmente nesse momento de Enem e vestibular, pode não ser a melhor escolha. 

Lembre-se de que cada pessoa tem o seu processo e o seu tempo. A sua hora de entrar na universidade também vai chegar. E demorar mais ou menos para isso não faz de você pior ou melhor do que ninguém. 

2 - Entenda que todo mundo tem qualidades e defeitos 

Se você se saiu mal em uma prova, isso não quer dizer que você não seja inteligente ou seja incapaz de alguma forma. É muito comum que tenhamos mais dificuldade em alguns conteúdos do que em outros. Ou seja: não se cobre tanto!

Todo mundo tem qualidades e defeitos! O importante é você conhecer os seus pontos fortes e fracos e trabalhá-los. 

Para isso, pode ser necessário passar por um processo de autoconhecimento.

3 - Trabalhe a inteligência emocional 

Inteligência emocional é um conceito em psicologia que descreve a capacidade de reconhecer e avaliar os seus próprios sentimentos e os dos outros, assim como a capacidade de lidar com eles. 

Trabalhar a inteligência emocional é uma forma de se tornar mais resiliente e encarar de forma mais tranquila as adversidades da vida no geral. 

Isso permite que você não mude sua percepção de si mesmo só porque as coisas não saíram conforme suas expectativas. 

4 - Busque ajuda profissional 

É inevitável se sentir desanimado ao ser reprovado no vestibular ou se sair mal no Enem. Afinal, você dedicou parte de seu tempo e de seus esforços para alcançar um objetivo que não se concretizou. 

Entretanto, se as frustrações estiverem ocupando um espaço muito grande na sua vida, ao ponto de causarem danos à saúde física e mental, é hora de considerar a ajuda de um profissional.

Conversar com um psicólogo ou psiquiatra pode ajudar muito a superar suas dificuldades e trazer mais conforto para esse momento.

Descubra os segredos para tirar nota 1000 na redação do ENEM! 

Conclusão 

Neste artigo, falamos sobre autoconceito e explicamos como trabalhá-lo para ter uma vida melhor. Se você gostou desse conteúdo, não deixe de conferir outros textos do Blog do EAD UMC:

Vida na universidade

Veja mais conteúdos da UMC sobre EAD e educação

Vida de Vestibulando: 7 fatos que ninguém te conta

A vida de um vestibulando não é nada fácil! 
9 min de leitura

Como fazer apresentação de trabalho na universidade [GUIA COMPLETO]

A apresentação de trabalho é uma atividade muito comum na faculdade, sendo requisitada tanto em curso de humanas quanto ...
6 min de leitura

Dificuldades de socializar? Veja como se adaptar ao mundo pós-pandemia

Como será o mundo pós-pandemia? 
10 min de leitura
Ver mais conteúdossobre Vida na universidade