Conheça nossos cursos
Conheça nossos cursos

Ensino Superior

Tipos de graduação: diferenças entre presencial, semipresencial e EAD

Vida na universidade

Como fazer a revisão bibliográfica do TCC

Ensino Superior

Tipos de graduação: diferenças entre presencial, semipresencial e EAD

Redação
Por Redação em Mar 5, 2021 12:00:00 AM | 11 min de leitura

Existem basicamente três tipos de graduação que você pode fazer: presencial, semipresencial e EAD. Cada uma delas possui vantagens e desvantagens, dependendo do seu perfil como estudante.

Mas, para escolher entre os tipos de graduação para fazer, é preciso conhecê-los melhor, certo? Então siga com a leitura: continue neste artigo e descubra a melhor graduação para você!

Confira:
Presencial, semipresencial e EAD: como funcionam 
Qual é o melhor entre os tipos de graduação para fazer?
Diferença entre bacharelado, tecnólogo e licenciatura
Formas de ingresso: vestibular, Sisu, FIES e Prouni 
Como conseguir bolsas de estudos para estudar EAD

Use sua nota do ENEM para ganhar uma bolsa de estudos!

Presencial, semipresencial e EAD: como funcionam 

Atualmente, existem três modalidades de ensino: presencial, semipresencial e EAD. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não existe uma melhor ou pior.

Cada um desses tipos de graduação possui uma série de vantagens e desvantagens. Tudo vai depender do perfil do estudante, assim como de sua rotina e tempo disponível para os estudos. 

A seguir, trazemos mais detalhes de cada uma dessas modalidades:

Graduação presencial

Esse é um dos tipos de graduação mais conhecidos. Afinal, é o mais tradicional deles.

Nesse modelo, alunos e professores se encontram presencialmente em sala de aula tanto para a exposição dos conteúdos quanto para a realização das avaliações.

Os horários e datas das aulas e das atividades avaliativas são pré-determinados pela instituição de ensino no início do ano letivo, assim como os locais nos quais os encontros devem acontecer.

Na faculdade presencial, as aulas geralmente acontecem todos os dias da semana e é necessário ter uma frequência mínima de 75% em cada disciplina para que você seja aprovado. Isso significa que, se existem 10 aulas de uma matéria, você precisa estar presente ao menos em 8 delas.

Algo que é importante comentar é uma novidade relacionada à obrigatoriedade de assistência física nas aulas: o MEC aumentou a quantidade de aulas que podem ser feitas à distância na modalidade presencial. Se antes o limite era de 20%, agora é de 40%, com exceção dos cursos de engenharia e saúde.

Entre todos os tipos de faculdade que existem, não é difícil compreender porque até hoje a maioria dos estudantes optava por este. A organização da agenda fica por conta da própria faculdade e a obrigatoriedade de estar em sala de aula para ser aprovado se torna um fator motivador para que o estudante compareça às aulas.

Contudo, para muitos estudantes, o presencial pode trazer alguns desafios.

Por ter a maioria das atividades presenciais, os estudantes devem se descolocar até as dependências da universidade, o que exige tempo de deslocamento e recursos para alimentação e transporte.

Para quem trabalha e/ou tem que dedicar tempo à família, essa exigência presencialidade e a falta de flexibilidade do presencial pode tornar a rotina muito corrida e cansativa. Isso pode trazer prejuízos tanta a vida pessoal quanto para a acadêmica.

Ou seja, ao portar por uma graduação presencial, é indispensável que você reflito sobre o seu tempo disponível para os estudos, assim como a possibilidade conciliar essa modalidade com seus outros afazeres. 

Graduação EAD

O Ensino a Distância é um dos tipos de faculdade que mais tem crescido nos últimos anos.

Nessa modalidade, aulas e atividades são realizadas por meio de ambiente virtual e apenas as provas são feitas presencialmente. Esse tipo de graduação é ideal para quem não tem disponibilidade de horários livres para se dedicar à faculdade.

As aulas podem ser assistidas quando o aluno determina e as atividades também possuem prazos diferenciados para serem realizadas. Além disso, não é preciso se deslocar para assistir às aulas, que podem ser vistas a partir de qualquer lugar por meio de computador e internet.

Essa modalidade compartilha alguns recursos com o modelo da faculdade semipresencial, também conhecida como nova graduação, que você vai conhecer na sequência.

No EAD, está à disposição do aluno toda a infraestrutura virtual necessária para estudar de forma remota, usando o ambiente virtual de aprendizagem, assim como a possibilidade de definir seus horários dedicados a expandir seus conhecimentos. 

Algo que é importante destacar é que, se anteriormente o MEC indicava que uma parte da carga horária deveria ser cumprida de forma presencial, esta exigência não existe mais na modalidade EAD.

Atualmente, a única atividade que deve ser feita, obrigatoriamente, de forma física, é a realização das provas. 

No entanto, assim como a modalidade presencial, o EAD também pode trazer alguns desafios para alguns perfis de estudantes. 

Para os estudantes que tem dificuldade de se organizar e ter autonomia para decidir os momentos dedicados aos estudos, o EAD pode não ser a melhor opção. 

Afinal, essa modalidade oferece muita flexibilidade para o aluno, o que pode não funcionar para todos. 

Ou seja, assim como no presencial, vale refletir sobre seu perfil de aprendizagem para tomar a melhor decisão.

Graduação semipresencial

Os cursos semipresenciais são aqueles que possuem parte da carga horária presencial e parte à distância.

Para ser considerado um curso semipresencial, este deve ter, no máximo, 20% da carga horária ministrada à distância. As demais horas são conferidas presencialmente, seja na própria instituição de ensino ou em polos de apoio presenciais.

Normalmente, o conteúdo ministrado online é essencialmente teórico. Assim, o aluno pode estudar quando e onde quiser, pois não precisa de nenhum suporte da instituição de ensino ou de professores. 

As dúvidas com relação ao conteúdo podem ser enviadas por meio de fóruns, chats e e-mails para que os tutores ou professores respondam.

Apesar de as aulas serem virtuais, as avaliações e atividades práticas são presenciais. Ou seja, podemos dizer que o semipresencial é uma modalidade de ensino entre o presencial e o EAD. 

A grande desvantagem desse modelo para muitos estudantes está exatamente esse híbrido. Por ter atividades presenciais e a distância, muitos alunos encontram certa dificuldade em manter uma rotina, o que pode atrapalhar os estudos e a vida pessoal. 

Qual é o melhor entre os tipos de graduação para fazer?

Para decidir qual é a melhor alternativa para seu caso, é fundamental ter todas as informações disponíveis e escolher de forma consciente.

Tem gente que prefere o modelo tradicional, já em outros casos a modalidade EAD é a mais indicada. Melhor ainda que existe um modelo intermediário, ou seja: tem opção para todos!

Na hora de decidir entre os tipos de faculdades para fazer, é preciso considerar sua rotina e suas características pessoais para saber quais delas se adaptam melhor às suas necessidades.

Ou seja, não existe nenhuma melhor ou pior, apenas aquelas que se adaptam ou não ao seu perfil e às suas expectativas!

tipos de graduação -jovens vestidos de beca e segurando os diplomas nas mãos

Diferença entre bacharelado, tecnólogo e licenciatura

Além das modalidades de ensino (presencial, semipresencial e EAD), você sabia que as graduações também se diferenciam nos tipos de cursos oferecidos?

Atualmente, existem três tipos de graduação de nível superior: bacharelado, tecnólogo e licenciatura. 

A seguir, explicamos mais sobre cada uma delas:

Bacharelado

O bacharelado é um tipo de curso de nível superior que confere grau de bacharel para os diplomados.  

Essa formação é essencial para o exercício de diversas profissões, como administrador de empresas, advogado, médico, veterinário, dentista, enfermeiro, arquiteto, geógrafo, entre outros ofícios. 

É possível cursar graduações do tipo bacharelado em instituições de ensino públicas e privadas de ensino superior. 

O bacharelado forma profissionais generalistas, com sólidos conhecimentos teóricos e práticos de uma profissão. 

Essas graduações são estruturadas com disciplinas que combinam conhecimentos teóricos e práticos.

Cada bacharelado tem uma carga horária de disciplinas obrigatórias e eletivas diferentes, dependendo das necessidades de cada curso.

Além de frequentar as aulas e participar de atividades acadêmicas, os estudantes que cursam bacharelados também precisam realizar um estágio e apresentar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) para garantir o diploma.

Os bacharelados costumam ter em média de 4 a 5 anos de duração.

Confira alguns cursos do tipo bacharelado:

Tecnólogo

O tecnólogo é um tipo de curso de nível superior, assim como o bacharelado.

A diferença é que essa modalidade de graduação oferece uma formação mais especializada, focada em determinada área do mercado de trabalho.

Para entender melhor essa graduação, vamos a um exemplo!

Imagine um profissional que cursa bacharelado em Administração, em quais áreas esse profissional pode trabalhar? Diversas! Afinal, essa é uma formação mais abrangente, passando por áreas como Marketing, Finanças e Gestão de Pessoas.

Já os tecnólogos, funcionam de forma diferente. É uma formação voltada para um segmento específico do mercado de trabalho, como Recursos Humanos, por exemplo, que também é da área de Administração.

Ou seja, se você se interesse pela área de RH, em vez de cursar um bacharelado de quatro anos em Administração, pode ser mais benéfico investir no tecnólogo de Gestão de Recursos Humanos, tendo uma formação mais aprofundada e focada na área.

Dessa forma, podemos afirmar que a principal característica dos tecnólogos é serem cursos rápidos e voltados para nichos de atuação profissional específicos. Não é à toa que esse tipo de formação tem em média dois anos de duração. 

Confira alguns cursos do tipo tecnólogo:

Licenciatura

A licenciatura é o tipo de graduação que prepara os profissionais para a docência. Ou seja, é a formação ideal para aqueles que desejam se tornar professores.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), só quem passa pelas disciplinas didático-pedagógicas está apto a lecionar na educação infantil, no ensino fundamental e no médio.

Assim, todos que desejam trabalhar com a educação básica devem cursar uma licenciatura. Afinal, essa formação oferece todas as habilidades necessárias e os conhecimentos específicos para a prática docente.

As licenciaturas costumam ter 4 anos de duração. 

Conheça alguns cursos:

Formas de ingresso: vestibular, Sisu e Prouni 

Se você chegou até aqui, é possível que esteja se perguntando: "mas como eu faço para entrar na faculdade?". Atualmente, existem diversas formas de ingresso. Algumas são exclusivas para instituições públicas, e outras para privadas.

Abaixo, explicamos cada uma delas. Confira:

Vestibular

Essa é uma das formas de ingresso mais tradicionais e, durante muito tempo, foi uma das mais utilizadas pelas instituições de ensino superior. 

O vestibular é uma prova que as universidades utilizam para avaliar se o estudante está apto ou não para entrar na universidade.

Cada instituição tem o seu formato de vestibular, mas a maioria adota uma avaliação que testa o conhecimento dos candidatos nas áreas de humanas, exatas, biológicas e linguagens.

A universidade aprova o ingresso dos melhores colocados. Ou seja, aqueles que tiraram as notas mais altas no vestibular. 

Esse meio é utilizado tanto por instituições públicas quanto privadas. Contudo, nos últimos anos, ele tem sido substituído pelo Enem (Exame na Nacional do Ensino Médio). 

Muitas universidades têm abolido os concursos vestibulares e utilizado somente a nota do exame para seus processos seletivos.  

Sisu e prouni

Além das universidades utilizarem o Enem em seus processos seletivos internos, a nota do exame também serve para participar de dois programas do Governo Federal: o Sisu e o Prouni.

O Sisu (Sistema de Seleção Unificada) é o sistema informatizado do Ministério da Educação no qual instituições de ensino superior públicas oferecem vagas para candidatos participantes do Enem.

Nesse programa, os estudantes são classificados a partir de suas notas no exame, e aqueles que tiverem o melhor desempenho são selecionados para ingressar na universidade que se inscreveram.

Já o Prouni (Programa Universidade para Todos), é um programa que oferta bolsas de estudos em instituições privadas de ensino superior. Ele utiliza a nota do Enem e critérios socioeconômicos para a seleção.

O objetivo da iniciativa é ajudar estudantes brasileiros de baixa renda a ingressar em faculdades privadas.

Para participar do programa, os estudantes devem atingir uma pontuação mínima estabelecida pelo MEC (Ministério da Educação) para concorrer às bolsas do Prouni. Além disso, os candidatos têm que cumprir requisitos de escolaridade e renda familiar.

O Prouni oferece dois tipos de bolsas de estudos:

Bolsa integral: cobre 100% do valor da mensalidade do curso.
Bolsa parcial: cobre 50% do valor da mensalidade do curso, cabendo ao aluno arcar com os custos da outra metade.

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

Como conseguir bolsas de estudos para estudar EAD

Você sabia que aqui no EAD UMC temos diversas opções de bolsas de estudos para estudar estudar a distância?

Conheça mais:

Bolsa Enem

A Bolsa Enem concede descontos de até 100% nas mensalidades de graduação EAD.

Essa bolsa vale para as mensalidades do primeiro semestre do curso, e o percentual de desconto é calculado a partir da nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Ou seja, quanto maior a nota, maior a bolsa.

Os estudantes que desejam concorrer a essa bolsa podem usar a nota do Enem a partir de 2010 e não necessitam realizar vestibular para ingressar no curso desejado.

Bolsa Transferência

Para quem já está matriculado na graduação em outra instituição de ensino e deseja se transferir para o EAD UMC, é possível garantir bolsa de 40% no primeiro semestre.

Sem precisar fazer um novo vestibular, os candidatos ainda conseguem aproveitar as disciplinas já cursadas mediante a análise do coordenador. 

Bolsa 2ª Graduação

Também tem bolsa de estudos para quem quer fazer segunda graduação no EAD CESMAC!

A Bolsa 2ª Graduação oferece 40% de desconto no primeiro semestre do curso.

Além do desconto, os candidatos à Bolsa 2ª graduação não precisam passar por processo seletivo. As inscrições são feitas de forma imediata, basta ter o certificado de conclusão de curso.

Bolsa Ex-Aluno CESMAC

Já estudou na UMC? Faça a segunda graduação EAD com 40% de desconto no primeiro semestre. Essa vantagem é exclusiva para os ex-alunos da instituição.

Os estudantes também podem aproveitar as disciplinas já cursadas mediante a análise do coordenador do curso.

Ensino Superior

Veja mais conteúdos da UMC sobre EAD e educação

De volta à sala de aula: aumenta o número de idosos no Ensino Superior

Você sabia que existem 27 mil idosos no ensino superior brasileiro? E que esta faixa de idade é a que mais cresceu em ...
16 min de leitura

Posso fazer duas faculdades ao mesmo tempo? A resposta está aqui!

Afinal, eu posso fazer duas faculdades ao mesmo tempo? Se você está se preparando para ingressar no ensino superior, ...
8 min de leitura

Mulheres na engenharia: inspire-se com a trajetória de 10 pioneiras

“Eu sempre quis ser engenheira, mas sentia como se mulheres não devessem estudar coisas como engenharia”. Essa fala é ...
9 min de leitura
Ver mais conteúdossobre Ensino Superior